Gastronomia etc.

Veganismo: 5 canais para aprender a se alimentar bem de forma econômica

Acabaram-se as desculpas de que a alimentação sem produtos de origem animal é cara demais para você

veganismo

Cada vez mais pessoas estão percebendo que a nossa forma atual de consumir alimentos não é nada sustentável e precisa mudar. Desse modo, o veganismo surge como uma alternativa que, além de boa para o planeta, protege os animais, é saudável e serve como cuidado, de forma natural, do corpo.

Há um mito de que veganismo não é para todo mundo porque custa caro. De fato, muitos locais especializados nessa culinária são voltados para um público com alto poder aquisitivo. O que não falta é produto vegano a um preço nada acessível. Entretanto, essa desculpa cai por terra quando falamos em cozinhar a nossa própria comida.

Se você não é nenhum chef, nem tem muito dinheiro, a saída é começar a seguir as pessoas certas. Tem muita gente alimentando canais legais e mostrando que o veganismo é uma escolha possível sim. A lista abaixo é uma prova disso. Acompanhe:

@sapavegana

Em sua página no Instagram, Luciene Santos posta fotos e receitas de comidas saudáveis, veganas e acessíveis, inclusive, com um passo a passo detalhado para quem está começando. A proposta do seu perfil é popularizar um veganismo antirracista e acessível.

“Sapatão, periférica, afrovegana, estudante e estagiária de Direito”, como ela mesma se define, a administradora da página também faz questão de se posicionar sobre temas como racismo e LGBTfobia, pois acredita que o veganismo não é apenas sobre alimentação.

@comidasaudavelpratodos

A intenção da catarinense Juliana é não só promover o veganismo, como também fazer isso com comidas saudáveis e que caibam no bolso de todo mundo. Em seu blog, ela publica textos, dicas e receitas, voltados tanto para quem já é vegano, quanto para quem quer começar agora.

Juliana também dá dicas de onde comprar e incentiva o consumo de todas as partes dos vegetais, diminuindo o desperdício e propondo pratos com talos e folhas, por exemplo. Em suas receitas, que vão desde sobremesas até pratos feitos, ela costuma colocar o valor aproximado dos alimentos. 

A blogueira também usa sua página no Instagram para falar sobre a história dos alimentos e fazer campanha contra os industrializados. Sobre os temas, ela ainda produz o Jornal do Veneno, podcast disponível no Spotify.

@logoeu_veganapobre

Com quase 50 mil seguidores, a ativista Caroline Soares também faz sucesso com receitas que, como o nome do perfil sugere, podem ser feitas sem gastar muito dinheiro. Seus posts quase sempre têm uma pitada de humor, que já virou sua marca registrada.

Além disso, ela faz campanhas contra o consumo de produtos de origem animal e se posiciona sobre causas que acredita. Tem muita receita legal por lá, inclusive, de chocolate — que, além de vegano, só leva três ingredientes.

@adolescentevegana

A adolescente Maria Elisa, de apenas 15 anos, é a administradora desse perfil que já se tornou bastante popular, principalmente, na Bahia, onde ela mora. Ela cozinha comida vegana, sem usar ingredientes mirabolantes, fotografa e compartilha as receitas no Instagram.

Por lá, você vai encontrar muitos acompanhamentos para o tradicional arroz e feijão, além de massas, bolos, sanduíches e vários lembretes para comer frutas. As fotos dão água na boca.

@veganoperiferico

Também com a ideia de tornar a causa acessível para todos, esse perfil compartilha receitas que levam ingredientes comuns e baratos. Junto às fotos, a página publica textos que falam sobre o veganismo, as causas sociais e a vida na periferia.

O administrador também tem um podcast, organiza palestras e eventos para disseminar um veganismo menos elitizado. Ele acredita que uma mudança real precisa contemplar a todos.

3 Comentários

  1. Pingback: Embarque na Viagem

  2. Pingback: Embarque na Viagem

  3. Pingback: Veganismo: 5 canais para aprender a se alimentar bem de forma econômica - Prótese de Silicone em Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *