Dormindo pouco? Veja como a pandemia pode ter afetado seu sono

Pesquisas mostram que, embora as pessoas estejam dormindo mais, estresse e preocupações prejudicam a qualidade do sono

Dormindo pouco seu sono

A pandemia de Covid-19 afetou todas as esferas da sociedade. A mudança mais drástica, talvez, tenha sido o isolamento social instaurado em todo o território brasileiro. Com mais tempo dentro de casa, muita gente aproveitou para colocar o sono em dia, mas a qualidade desejada ainda está longe de ser a ideal. 

Assim como no Brasil, muitas pessoas ao redor do mundo também estão em regime de home office ou não têm mais a necessidade de acordar tão cedo como antes. Assim, mesmo passando mais tempo na cama, não foi sentida uma melhora no sono, segundo estudo feito na Áustria, Alemanha e Suíça.

O levantamento em questão avaliou 435 adultos no período entre os meses de março e abril de 2020, período em que a quarentena estava mais intensa na Europa e se instaurando pelo Brasil. Entre os resultados destacou-se que, embora as pessoas estejam dormindo, em média, 15 minutos a mais toda noite, a qualidade do sono diminuiu.

O motivo é, claramente, o estresse e a frustração causados pela pandemia. Assim, embora ter mais tempo de sono seja algo realmente muito bom e desejável, tais fatores acabaram por comprometer a qualidade, além de gerar sonhos e sensações estranhas, devido às incertezas e às más notícias recorrentes. 

Apesar desses dados preliminares, os estudiosos e pesquisadores do sono estão apenas iniciando os estudos e impactos da pandemia no sono das pessoas. O Estudo Internacional de Sono da Covid-19 (ICOSS, em inglês) ainda vai reunir pesquisas e resultados de países como China, Finlândia, Canadá, Estados Unidos, França, Alemanha, Áustria, Japão, Hong Kong e Noruega. O propósito é, justamente, analisar e identificar o impacto da pandemia e do distanciamento social no sono, bem como outros fatores como ansiedade, depressão e estresse

Como dormir melhor durante a pandemia?

Para melhorar a qualidade do sono, especialistas indicam as mesmas recomendações do período pré-pandemia, com destaque para a prática de exercícios físicos e alimentação equilibrada, rica em nutrientes, vitaminas e fibras. 

No entanto, o uso de um colchão de boa qualidade e que ofereça conforto, como os modelos Castor, também é altamente recomendado, bem como pegar sol (ainda que seja na varanda ou no quintal), evitar o consumo de bebidas estimulantes à noite, como café, e, ainda, tentar dormir e acordar no mesmo horário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *