Variedades & Tecnologia

Países oferecem vistos de trabalho remoto para nômades digitais

Barbados e Bermudas são alguns dos países que abriram espaço para estrangeiros trabalharem remotamente

nômades digitais

A pandemia do novo coronavírus transformou a rotina de muitos profissionais e popularizou o home office. Com a crise sanitária e o fechamento de fronteiras, muitas pessoas voltaram para o país de origem ou tiveram que solicitar a extensão da estadia no país, outras buscaram por destinos que pudessem trabalhar remotamente. Esses fatores, atrelados ao incentivo dos governos internacionais, promoveram a criação do visto de trabalho remoto para atrair nômades digitais. 

De acordo com o mapeamento da agência virtual de turismo ViajaNet, 9 países possuem esse tipo de visto e a maioria deles está localizado no continente europeu. Confira abaixo a lista completa dos lugares com visto de trabalho remoto: 

Países com visto de trabalho remoto:
Alemanha – Europa
Barbados (Caribe) – América Central
Bermudas – América do Norte
Estônia – Europa
França – Europa
Geórgia – Europa/Ásia
Portugal – Europa
República Tcheca – Europa
Tailândia – Ásia

A criação dos vistos para regulamentar os viajantes que atuam em trabalhos remotos busca chamar atenção deste perfil profissional visando melhorar a economia local, sem sobrecarregar e gerar concorrência nas oportunidades de trabalho dentro do país para os moradores. Outro objetivo dos vistos para home office está voltado para amenizar as perdas do setor de turismo de cada país, já que viagens a lazer ainda não são recomendadas no momento.

Os pré-requisitos e tempo de estadia permitido variam para cada país. Entretanto, a comprovação de renda e de vínculo empregatício é uma exigência padrão, o que muda é a renda mínima exigida. Para Barbados, por exemplo, é necessário comprovar a receita de 50 mil dólares ao ano.

Uma possível tendência do home office no pós-pandemia

O home office possibilitou uma independência geográfica que muitos profissionais gostariam de ter, mas não conseguiam por estarem frequentemente no escritório, acelerou a consolidação de um regime de trabalho que já estava em ascensão, como os nômades digitais e comprovou uma grande economia para as empresas. 

A expectativa é que o formato continue em alta. Cerca de 30% das empresas nacionais cogitam manter o trabalho remoto após a pandemia, de acordo com um estudo feito pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) em 2020.

Mesmo com a mudança repentina, muitas pessoas e empresas confirmaram que conseguem manter a produtividade de forma qualificada e sem grandes impactos à distância. Ainda segundo o ViajaNet, que apurou as buscas pelo Google Trends ao longo dos últimos 12 meses, os usuários que demonstraram maior interesse de busca por vistos são do Distrito Federal, Rio de Janeiro, Rondônia, São Paulo e Santa Catarina, respectivamente. O mês com o maior índice de procura foi em julho do ano passado.

Cuidados com a pandemia

O significativo aumento no número de casos de pessoas que pegaram o vírus tem feito com que muitos países restrinjam a entrada de brasileiros. Por isso, os profissionais que planejam viajar para trabalhar, além de verificar as exigências para obter o visto e entrar em cada país, precisam se informar quanto à legislação e tributação da empresa em que trabalha e seguir de forma rígida os protocolos de segurança e higiene ao se deslocar até o destino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *