Coronavírus: Dr. Drauzio Varella fala sobre fake news, contágio e prevenção

Em meio a tantas notícias sobre o novo Coronavírus, entre elas muitas fake news, é muito normal que dúvidas pipoquem na mente de todos nós, especialmente os viajantes que estão com datas marcadas para suas aventuras pelo mundo. Afinal, como se dá o contágio e a prevenção do coronavírus?

A alta absurda do dólar e os procedimentos de cancelamento de viagens já foram abordados por nossa equipe neste texto aqui. Hoje, resolvi falar sobre uma “thread” do Dr. Drauzio Varella, referência em saúde no nosso país, que foi compartilhada em sua conta no Twitter. Nela, o médico fala sobre o primeiro caso do Covid-19 confirmado no Brasil, disseminação de fake news, formas de contágio, prevenção, atitudes preconceituosas, entre outros. Então, segue o fio:

1# O primeiro caso de coronavírus no Brasil foi confirmado na última quarta-feira (26) e reacendeu o pânico da população em relação à doença, que já infectou mais de 80 mil pessoas em cerca de 40 países. Diante dessa situação, o que devemos saber e/ou fazer? Segue o fio:

2# Em primeiro lugar, é FUNDAMENTAL não ceder ao pânico, principal aliado na disseminação de notícias falsas. Fake news, nesse momento, só serve para fortalecer atitudes xenofóbicas e atrapalhar a prevenção e a informação da população de forma correta.

3# O vírus é uma novidade? Não. Conhecemos os coronavírus desde os anos 60. Diferentes mutações foram responsáveis pelo surto de SARS entre 2002 e 2003 na China e por espalhar, em 2012, a MERS, do Oriente Médio. Em 2019, foi a vez da Covid-19, na China.

4# O nome dado pela OMS para a nova mutação do coronavírus (Covid-19) foi, aliás, pensado justamente para evitar associações à países, grupos étnicos e de animais específicos como forma de conter atitudes preconceituosas e xenofóbicas.

5# Como começou a transmissão do coronavírus? As primeiras pessoas contaminadas haviam estado em um mercado de frutos do mar, confirmando a origem animal do vírus. Em pouco tempo a transmissão entre seres humanos foi comprovada e o vírus começou a se espalhar.

6# Como o contágio pode ocorrer? O contágio pode acontecer pelo ar (tosse ou espirro), gotículas de saliva ou catarro, contato pessoal (aperto de mão, beijo) ou com superfícies contaminadas como maçanetas.

7# Quais as chances de contaminação? Na maior parte dos casos, a transmissão é limitada e se dá por contato próximo. Ou seja, profissionais de saúde ou membros da família que tenha tido contato físico com o paciente ou permanecido no mesmo local que o paciente doente.

8# Quanto tempo os sintomas demoram para se manifestarem? Ainda não há uma informação exata. Presume-se que o tempo de exposição ao vírus e o início dos sintomas seja de até duas semanas.

9# Quais são os sintomas de infecção pelo coronavírus? Pode variar desde casos assintomáticos, casos semelhante ao resfriado (febre, dificuldade para respirar), até casos graves com pneumonia e insuficiência respiratória aguda.

10# O coronavírus oferece risco de morte? Das 80 mil pessoas infectadas até agora, cerca de 2,7 mil morreram. A taxa geral de mortalidade dele é de 2,3% — mas chega a 14,8% em pessoas com mais de 80 anos, diz estudo do Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças (CCDC).

11# O que é um caso suspeito? O governo brasileiro adotou, até o momento, a seguinte definição: toda e qualquer pessoa que apresente sintomas de infecção respiratória e tenha viajado para a área de transmissão local ou contatado paciente suspeito ou confirmado com o vírus.

contágio e prevenção coronavírus

12# Como é feito o diagnóstico do coronavírus? Exames laboratoriais realizados por biologia molecular identificam o material genético do vírus em secreções respiratórias.

13# Qual é o tratamento para a Covid-19? Não há medicamento específico. Indica-se repouso e ingestão de líquidos, além de analgésicos e antitérmicos para aliviar os sintomas. Nos casos mais graves, suplemento de oxigênio e mesmo ventilação mecânica podem ser necessários.

14# Há alguma vacina para prevenir a infecção? Não há vacina até o momento. Além disso, é importante lembrar que a vacina da gripe protege somente contra o vírus influenza, uma outra família de vírus, não sendo eficiente contra o coronavírus.

15# O que fazer ao detectar um caso suspeito? Os casos suspeitos devem ser isolados enquanto houver sinais clínicos, e o uso de máscaras é recomendado para esses pacientes. Profissionais da saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas.

16# Posso viajar para a China? Com o aumento do nível de alerta pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para alto em relação ao risco global do novo coronavírus, o Ministério da Saúde recomenda que viagens ao país sejam realizadas apenas em extrema necessidade.

17# Como prevenir o contágio com o coronavírus? As recomendações são as mesmas que temos para evitar outras infecções respiratórias: 

– Evite contato próximo com pessoas com infecções respiratórias agudas;

– Lave as mãos com frequência; (+)

18#  – Evite contato desprotegido com animais rurais e silvestres;

– Cubra boca e nariz ao tossir ou espirrar;

– Caso apresente sintomas e tenha viajado recentemente para a China, contate um serviço médico.

Fake News sobre coronavírus

O Ministério da Saúde desmentiu diversos boatos que começaram a circular na internet sobre o coronavírus. Informações falsas causam pânico na população e atrapalham os trabalhos de investigação das autoridades competentes. Confira neste link algumas das muitas notícias falsas que estão sendo espalhadas e precisam ser combatidas.

Compartilhe e ajude a combater a desinformação!

2 Comentários

  1. Pingback: Embarque na Viagem

  2. Pingback: Embarque na Viagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *