Dicas & Destinos

Como se planejar financeiramente para as férias de fim de ano

O fim do ano se aproxima e, com ele, vem também o desejo de descansar após uma intensa rotina de trabalho, estudos e muitas tarefas. Aproveitar as férias para relaxar e viajar com a família ou com os amigos é sempre uma boa opção. Mas colocar esta ideia em prática requer planejamento financeiro.

férias de fim de ano

Não é preciso desistir da viagem de férias de fim de ano por conta do dinheiro. Para quem planeja um passeio, a dica é se organizar para fazer com que os custos caibam dentro do orçamento. Também é importante se preparar para que ao retornar das férias, a vida financeira não entre em desequilíbrio. Por isso, primeiramente, o ideal é colocar na ponta do lápis todos os gastos. Confira algumas dicas da Genial Investimentos para se planejar financeiramente para as férias de fim de ano.

Anote todas as despesas

Passe para o papel o valor total da sua despesa mensal. Vale ressaltar que será necessário ter o dinheiro para pagar as contas de dois meses, aquele no qual será realizada a viagem de férias de fim de ano e no seguinte a ela.

Uma orientação importante é que se a viagem for realizada em dezembro, é preciso lembrar que em janeiro há despesas extras como IPTU, IPVA e matrícula escolar. Todos estes valores devem constar no planejamento.

Após realizar estas contas, o próximo passo é pensar a viagem. Para definir o destino, converse com todos os viajantes. É aconselhável que a família, o casal ou o grupo de amigos tenha três destinos em mente que sejam diferentes em relação ao preço e à distância. Assim, será possível analisar o melhor, conforme o período do ano e a situação financeira.

Outra questão a ser avaliada é qual será o período dentro das férias em que a viagem irá ocorrer. Vale pesquisar, por exemplo, se há diferença no preço das passagens caso a viagem seja feita numa segunda-feira ou numa quarta-feira, por exemplo.

Com estas informações, será possível pesquisar valores de hotéis, pousadas, companhias aéreas, passeios e pacotes de agências de turismo, entre outros. A partir desta pesquisa é que serão estimados os gastos com a viagem. Não é possível fazer cálculos exatos, mas garantir uma estimativa.

Desta forma, basta somar o valor das despesas para dois meses com o custo total estimado para a viagem. Este é o dinheiro total necessário para garantir o descanso das férias e um retorno sem desequilíbrio financeiro.

Para arcar com estes gastos, além de contar com a renda mensal, uma alternativa interessante é começar a poupar. Até a data da viagem é possível economizar com as despesas que não são fixas. Reduzir os gastos nas compras do supermercado aproveitando promoções, demorar menos tempo no chuveiro para diminuir a conta de energia, pagar boletos à vista para pleitear descontos e eliminar gastos supérfluos são boas estratégias.

Mas apenas poupar pode não ser suficiente, por isso, o ideal é fazer o dinheiro economizado render. Neste sentido, a primeira ideia a ser descartada é a caderneta de poupança. Isto porque o cenário econômico nacional, no qual os juros estão em baixa, não favorece este tipo de aplicação e não há expectativas de que a situação seja modificada. A melhor alternativa é investir.

Como investir

Para começar a investir para as férias é necessário conhecer os produtos financeiros disponíveis no mercado. Veja algumas opções:

Tesouro Direto

Os títulos do Tesouro Direto têm a garantia do Tesouro Nacional, logo, se configuram como o tipo de investimento mais seguro que o mercado pode oferecer atualmente. Além disso, também é a opção mais democrática, visto que é possível começar a investir com R$ 30. Os papéis variam conforme a rentabilidade, e basicamente, existem três diferentes categorias: os indexados ao Índice de Preço ao Consumidor (IPCA), à Selic e os prefixados. Todos são mais rentáveis do que a caderneta de poupança.

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

Além de oferecer uma rentabilidade superior à caderneta de poupança, possui a vantagem de ter a cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Também pode ter liquidez diária.

Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCA)

A rentabilidade é superior à caderneta de poupança, garantem a isenção de tributos e a cobertura do FGC. Também podem ter liquidez diária.

Para começar a investir, é aconselhável buscar a orientação de uma plataforma de investimentos, para auxiliar na escolha do produto que será compatível com o seu objetivo e perfil de investidor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *