Life&Style

Plantas aquáticas: conheça espécies que fazem a diferença na urban jungle

As plantas aquáticas exigem alguns cuidados especiais para manter sua beleza e também a saúde de todos na casa.

Plantas aquáticas

A tendência de urban jungle virou febre no mundo todo, tomando conta das redes sociais e enchendo os olhos dos amantes de plantas das mais diversas idades. Esse conceito vai além da decoração, sendo impulsionado pelo amor à natureza e pela vontade de criar em casa um espaço tomado pelo verde, em contraste com o concreto da cidade. Para criar uma floresta em casa e manter as plantas sempre bonitas são necessários alguns cuidados, que variam de acordo com o tipo e a espécie.

Um tipo muito usado nesta tendência de decoração, também conhecida como “selva urbana”, são as plantas aquáticas, que contam com a propagação na água, exigindo cuidados diferentes das espécies mais tradicionais, que crescem no solo majoritariamente seco. Entender melhor como esse tipo de planta funciona não é importante somente para a saúde da espécie, mas também para evitar alguns problemas, como a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, que se aproveita da água parada.

Algumas espécies de plantas aquáticas podem ser plantadas em vasos, sendo ideais para quem não tem tanto espaço em casa. Entre as plantas mais populares deste tipo está o singônio (Syngonium angustatum), com folhas grandes de formato interessante, e a ninfeia (Nymphaea), planta que dá belas flores. Além disso, existem as espécies flutuantes, que são cultivadas em bacias ou lagos artificiais, em contato direto com a água. A vitória-régia (Victoria amazônica) é uma das representantes principais deste grupo, sendo considerada a maior planta aquática do mundo; outra opção é o alface d’água (Pistia stratiotes), muito usado por paisagistas na decoração. Também é possível encontrar algumas espécies específicas para serem colocadas dentro do aquário, levando a floresta para dentro do ambiente dos animais, tanto para auxiliar na alimentação dos peixes, quanto para deixar o ambiente decorado.

A técnica de colocar plantas na água pode, inclusive, ser usada como maneira de propagar espécies que são plantadas no solo. Caso uma planta esteja muito grande e precise ser podada, os ramos cortados podem ser colocados em um recipiente com água para estimular o crescimento de novas raízes, permitindo que o ramo seja plantado e dê origem a uma nova planta. Essa estratégia é ótima para criar várias mudas diferentes, preenchendo mais espaço na casa ou até mesmo para presentear outras pessoas. As espécies de plantas aquáticas podem ser encontradas em praticamente qualquer loja especializada, como floricultura em Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo e outras capitais.

Entre os cuidados mais importantes está a troca de água, que deve ser feita a cada três ou quatro dias, garantindo que ela esteja fresca e eliminando qualquer inseto. Para manter a saúde das plantas, a água mineral ou filtrada é a melhor opção, por conter pouco ou nada de cloro. É importante evitar que o recipiente com a água e as plantas fique em contato direto com o sol, causando o aquecimento da água e prejudicando as mudas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *