Variedades & Tecnologia

Devo me mudar para o interior? 6 perguntas que vão te ajudar a tomar essa decisão

Para uma adaptação bem sucedida, saiba o que avaliar antes de trocar a capital pelo interior 

 interior

Morar no interior é o sonho de muitas pessoas. Seja pela qualidade de vida, para se aproximar da família ou por questões financeiras, as cidades pequenas cativam, principalmente, quem busca por maior tranquilidade. É possível embarcar com a Viação Santa Cruz, tornando este sonho mais fácil de virar realidade. 

No entanto, para que a mudança seja vantajosa em relação ao estilo de vida nas metrópoles, algumas questões devem ser levadas em consideração. Confira, abaixo, quais pontos analisar na hora de decidir se é o momento para realizar esta mudança. 

Qual é o seu estilo de vida?

O primeiro ponto a ser analisado é o seu estilo de vida. O interior é conhecido por proporcionar maior contato com a natureza e atividades ao ar livre. Tal cenário é propício para quem busca por um ritmo mais sossegado e não prioriza a vida noturna. 

Outra questão a ser considerada é a fase de vida em que você se encontra. Se deseja aperfeiçoar sua carreira e desenvolver mais contatos profissionais, a capital oferece maior oferta de cursos profissionalizantes e eventos para networking. 

Já se busca por oferecer melhor qualidade de vida à sua família, as cidades pequenas possibilitam relacionamentos afetivos mais próximos e mais segurança para todos. 

Você vai conseguir ter um emprego? 

Nem todas as profissões encontram versatilidade em cidades pequenas. Por isso, antes de se mudar, o recomendável é analisar o cenário econômico da cidade e compreender quais são os principais setores que movimentam a economia local e oferecem oportunidade para crescimento. 

Também busque dados sobre a média salarial do novo local para a sua profissão. Assim, evite surpresas sobre grandes variações da renda atual e reajuste do orçamento familiar. 

Como é a infraestrutura urbana?

Assim como o estilo de vida, a infraestrutura urbana disponível na nova cidade de moradia deve atender às suas necessidades. Neste caso, verifique se o local oferece hospitais de qualidade ou atendem algum quadro clínico específico que você precise de acompanhamento periódico, por exemplo. Aproveite para verificar a cobertura do seu plano de saúde. 

A disponibilidade de boas instituições de ensino também é um diferencial. Verifique a oferta de vagas nas escolas e, caso opte por ensino privado, o valor médio das mensalidades. 

Analise se a oferta de transporte combina com suas expectativas. Muitas vezes, embora o tráfego de carros seja muito mais fácil em cidades do interior, existem poucas linhas de transporte público. 

Você está satisfeito com a sua qualidade de vida atual?

O grande destaque do interior é o bem-estar proporcionado por um ritmo menos estressante de locomoção, gastos financeiros e trabalho. Isso sem falar em menor índice de poluição e melhor qualidade do ar. 

Com distâncias mais curtas entre um ponto e outro e maiores chances de morar perto do trabalho e da escola das crianças, é possível visualizar um ritmo de vida com mais tempo livre. 

Você está se sentindo solitário? 

A sociabilidade é um destaque das cidades menores. Com um ritmo mais desacelerado, o interior é conhecido pelos seus encontros à porta da rua, no supermercado do bairro ou nas festividades da cidade.

A população mais acolhedora pode ser uma ótima forma de se sentir menos sozinho. No entanto, em algumas circunstâncias, saiba que fofocas podem acontecer com mais frequência. 

Em qual estado você irá morar?

Embora o interior possua características parecidas, cada lugar tem a sua própria cultura e cada municípios, um ritmo. Estados com grande destaque na economia brasileira, como São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo, possuem cidades no seu interior que oferecem oportunidades semelhantes à capital. 

Já territórios que estão mais distantes do eixo econômico, oferecem uma experiência urbana interiorana menos intensa. Ao optar por um novo local para fixar moradia, certifique-se das diferenças regionais. 

8 Comentários

  1. Pingback: Embarque na Viagem

  2. Pingback: Embarque na Viagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *