Variedades & Tecnologia

Hoje na História: hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, é inaugurado

Com 11 mil metros quadrados, o local é conhecido por hospedar celebridades e pela realização de badalados eventos sociais

Copacabana Palace

No dia 13 de agosto de 1923 era inaugurado, no Rio de Janeiro, o famoso Copacabana Palace, um luxuoso hotel localizado em frente à Praia de Copacabana. Com 11 mil metros quadrados, o local é conhecido por hospedar celebridades e pela realização de badalados eventos sociais.

Eleito diversas vezes como o melhor hotel da América do Sul pela World Travel Award, o Copacabana Palace foi construído pelo empresário Octávio Guinle e Francisco Castro Silva entre 1919 e 1923. O objetivo inicial do hotel era atender uma solicitação do então presidente Epitácio Pessoa, que desejava um grande hotel de turismo na então capital do país para ajudar a hospedar o grande número de visitantes esperados para a grande Exposição do Centenário da Independência do Brasil.

Para a obra foram concedidos incentivos fiscais e uma licença para o funcionamento de um cassino. Em 1989, a família Guinle vendeu o hotel ao grupo Orient-Express Hotels, que modernizou antigas instalações do Copacabana Palace sem descaracterizar o prédio.

Personalidades, curiosidades e excentricidades no Copacabana Palace

Albert Einstein foi a primeira personalidade mundial a se hospedar no Copacabana Palace, abrindo sua visibilidade para além de terras tupiniquins. Aos 10 anos de vida, uma réplica do hotel já aparecia no filme Voando para o Rio, fato que abriu as portas do Copa para o povo do showbizz. Foi lá que, em 1942, o cineasta americano Orson Welles – um dos primeiros a rodar um filme no Brasil – brigou pelo telefone com a namorada, a atriz mexicana Dolores Del Rio. Num ataque de fúria, jogou a mobília pela janela. Ava Gardner fez um escândalo, em setembro de 1954, quando descobriu que a haviam hospedado no Hotel Glória. Exigiu que fosse levada, às 2 da manhã, para o Copa. Dizem que a diva chorava toda vez que a boate Meia Noite, dentro do hotel, tocava Frank Sinatra, seu ex-marido. Em janeiro de 1964, Brigitte Bardot parou o bairro quando posava para a imprensa na fachada do Copa. Por ali também passaram Edith Piaf, Nat King Cole, Tony Bennett e Louis Armstrong. Marlene Dietrich se apresentou em 1959 com o jovem pianista Burt Bacharah.

Nos anos 70, a estrutura do hotel começou a se mostrar deficitária. Nesse período, alguns hóspedes deram trabalho. Em 1970, Janis Joplin foi expulsa por ter nadado nua na piscina. Alice Cooper, depois de um show no Maracanãzinho, em 1974, destruiu quatro suítes e deixou a piscina inativa por dois dias, tempo que os funcionários precisaram para retirar pratos e talheres do fundo da água. Outro que não deixou boa impressão foi Rod Stewart, que promoveu uma partida de futebol na suíte presidencial do Copa, em 1977, e de lá foi devidamente expulso.

Tombado em 1986, em princípio para dificultar os planos de venda e demolição que chegaram a passar pela cabeça de alguns dos Guinle, o hotel foi vendido em 1989 para o inglês James Sherwood, dono da Orient-Express Hotels, por 23 milhões de dólares. Algumas mudanças foram consequência da modernização. A proibição de animais, por exemplo, teve de ser revista para que Marco, um dutch shepherd, pudesse farejar explosivos antes da estada de Hillary e Bill Clinton no hotel, em 1997. Em uma madrugada de 1991, a piscina do hotel ficou às escuras: a princesa Diana queria nadar e não ser vista. Tudo pelo bem dos hóspedes.

Anos se passaram e o hotel continua recebendo grandes nomes de Hollywood e de todo o mundo. Afinal, o Copacabana Palace não é simplesmente uma relíquia do passado, está com os pés fincados no presente, olhando para o futuro.

Fonte: History e Aventuras na História

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *