Cultura & Entretenimento

Roteiro Cultural/Histórico – Centro e Luz. São Paulo uma cidade surpreendente.

 

Fascinante, São Paulo é uma metrópole superlativa em tudo, inclusive na diversidade. Efervescente caldeirão de estilos e culturas onde convivem pessoas de mais de 70 nacionalidades, também é um grande centro de entretenimento: são mais de 280 salas de cinema, 180 teatros, mais de 90 centros culturais e 110 museus, além de inúmeras casas noturnas dos mais diversos estilos para uma das noites mais agitadas do planeta. Sem falar nas compras – com 79 shoppings e dezenas de ruas de comércio especializado.

Visitar a maior metrópole da América do Sul é como conhecer várias cidades em apenas uma. Aqui você encontra o que fazer a qualquer hora do dia e da noite. É uma cidade de pessoas descoladas e de vida cultural intensa, famosa por proporcionar aos milhões de habitantes e visitantes uma gastronomia diversificada e de qualidade. Entre os programas gastronômicos, um é típico na cidade: tomar café da manhã na padaria da esquina, especialmente aos domingos. Ainda na gastronomia – há mais de 12,5 mil restaurantes, com 52 tipos de cozinha de todas as partes do mundo. Por motivos assim, vale muito a pena descobrir esta cidade global, repleta de conhecimento, tendências, cheiros e cores.

São Paulo é também a cidade das tendências, das principais feiras, dos grandes eventos… Dinâmica, está sempre pronta para oferecer ao turista uma variedade de atrações em qualquer época do ano.

Uma história de vanguarda – Essas características são resultados do passado histórico da cidade. Entre os séculos XIX e XX, o município passou por um intenso movimento de imigração. Nesta época, o estado de São Paulo era o mais importante exportador internacional de café, o que atraiu trabalhadores dos quatro cantos do mundo. Em 1920, por exemplo, quase 2/3 dos seus 600 mil moradores eram imigrantes.

Destino de cultura e arte – Toda essa efervescência cultural e diversidade de opções proporcionam aos turistas, nacionais e internacionais, uma experiência intensa neste pólo de entretenimento. É garantia de diversão e satisfação para viajantes de várias idades e perfis.

Os turistas vêm à cidade atrás dos mais variados eventos, que comprovam seu status de centro cultural que integra o circuito de eventos das grandes metrópoles mundiais. Entre eles estão o São Paulo Fashion Week, a Virada Cultural, a maior Parada Gay do mundo, o Grande Prêmio Brasil de Fórmula 1, a Fórmula Indy, o Salão Internacional do Automóvel, a Bienal de Arte, a Mostra Internacional de Cinema, a Corrida de São Silvestre, o Natal Iluminado, a Bienal Internacional do Livro e muitos outros bons exemplos. Os shows também marcam presença na cidade.

E a arte. Grande, multicultural e intensa, São Paulo é pura inspiração e por isso transpira expressão artística. Dezenas de galerias estão distribuídas pela cidade, muitas delas nos Jardins, com os mais variados tipos de arte. Assim como há diversos ateliês, muitos deles no boêmio bairro da Vila Madalena. Lojas de artigos que valorizam o design se multiplicam cada vez mais, principalmente na região da Rua Gabriel Monteiro da Silva. E na moda, frequentemente surgem novos estilistas paulistanos que reinventam, misturam, agregam e transformam. E a arte de rua, seja em grafites espalhados por alguns muros da metrópole, ou no artista circense, na calçada. Teatro, cinema e música de absolutamente todos os estilos estão por toda parte e dão mais vida a uma cidade que valoriza a diversidade e provoca novas sensações.

Seja qual for o estilo, a cidade tem muito a oferecer. Por isso, foram elaborados roteiros temáticos, sugestões de passeios e seleção de atrativos para que se possa vivenciar uma São Paulo feita sobe medida para você. Experimente, aguce seus sentidos e surpreenda-se.

Este roteiro é composto por dois núcleos: Centro e Luz.

Centro
Nesta região se observarão os caminhos do desenvolvimento urbanístico gerado pela economia cafeeira, assim como as reminiscências arquitetônicas e os locais em que funcionavam alguns dos mais emblemáticos cafés da cidade. Atualmente também há dezenas de boas cafeterias espalhadas pela área.

– Partida da Praça da Sé
– Caminhada pela Rua XV de novembro;
– Seguir pela Rua da Quitanda;
– Entrar na Rua Álvares Penteado;
– Seguir até o Largo do Café;
– Entrar na Rua do Comércio;
– Seguir pela Praça Antonio Prado;
– Entrar na Rua São Bento;
– Embarcar no Metrô São Bento em direção à Estação da Luz

Palácio da Justiça
Exemplo de construção da nova metrópole que se modernizava pela economia cafeeira, esta obra do Escritório Técnico Ramos de Azevedo (principal arquiteto da São Paulo do café), foi projetada em 1911, mas só foi inaugurada em 1933. Em estilo eclético, com influência neorenascentista, a fachada apresenta acabamentos luxuosos e é ornamentada com figuras, cariátides (estátuas femininas com função de coluna) e símbolos do Judiciário. No interior, o ponto alto é o Plenário do Júri, revestido com lambris de madeira de lei e teto ornamentado e coroado por uma clarabóia no centro.

Abriga exposições permanentes e temporárias mantidas pelo Museu do Tribunal de Justiça – hoje sediado no Palacete Conde de Sarzedas (Rua Conde de Sarzedas, 100).

Praça Clóvis Bevilacqua, s/n.
Horário: de 2ª a 6ª feira, das 10h às 17h (seguindo o calendário do Tribunal de Justiça)
Telefone: (11) 3295-5816
Visite o Site

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Edifício Guinle
Pode ser considerado o primeiro prédio vertical da cidade. Construído entre 1913 e 1916, foi uma das primeiras construções de concreto armado no país. Numa época em que os edifícios vizinhos não passavam de três andares, este projeto dos arquitetos Hipólito Gustavo Pujol Júnior e Augusto de Toledo chegou aos oito pavimentos e 36 metros de altura. A fachada apresenta ornamentação Art Nouveau, com motivos de ramos e frutos de café, remetendo à riqueza trazida pela economia cafeeira.

Rua Direita, 49

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB)
A antiga sede do Banco do Brasil na cidade de São Paulo foi construída entre 1923 e 1927, seguindo o projeto do arquiteto Hipólito Gustavo Pujol Júnior, professor da Escola Politécnica. Desde 2001, abriga o Centro Cultural Banco do Brasil, um dos mais ativos e completos espaços culturais paulistanos, parte de mais um esforço na política de revitalização do centro da cidade.

A fachada também apresenta adornos de ramos de café. Outro destaque é o cofre da antiga agência no subsolo do prédio.

Rua Álvares Penteado, 112
Horário: de 3ª feira a domingo, das 10h às 20h
Telefone: (11) 3113-3651 / 3652

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Largo do Café
Antigamente o café era aqui comercializado, numa espécie de bolsa informal, até 1914 com a instituição da Bolsa Oficial do Café, em Santos (que se tornou a maior praça cafeeira do mundo). Atualmente há bares e cafeterias muito animados após o horário comercial, onde se pode saborear um bom café.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Edifício Martinelli
Maior construção da São Paulo que crescia com o dinheiro do “ouro negro”. Quando inaugurado, em 1929, era o mais alto edifício do mundo fora dos Estados Unidos, condição perdida apenas em 1936. Inicialmente de autoria do arquiteto húngaro William Fillinger, da Academia de Belas Artes de Viena, o projeto previa 12 andares e foi alterado pelo próprio empreendedor da obra, o comendador italiano Giuseppe Martinelli, que tinha a meta de 30 andares e a atingiu ao construir sua mansão no topo do prédio, assim demonstrando aos desconfiados que, apesar de tão alta, a construção era segura.

Antes da construção do Martinelli, havia neste exato local o tradicional Café Brandão, um dos mais marcantes da época. É permitida a visitação pública ao terraço, com necessidade apenas de agendamento prévio.

Rua Líbero Badaró, 504
Horário: 2ª, 3ª e 6ª feira: das 9h30 às 11h30 e das 14h30 às 16h30; sábado: até as 13h
Telefone: (11) 3104-2477
Visite o Site

 

Região da Luz

A História da Luz está intimamente ligada à ferrovia e, consequentemente, ao café. A partir da chegada do café, em meados do século XIX, São Paulo cresce. O triângulo central não suporta mais a crescente população e o progresso da cidade. É o início da expansão que segue pela região da Luz, que deixa de ser um ponto de parada de tropeiros para incorporar-se no cenário urbano.

Em 1860, por iniciativa de Irineu Evangelista de Sousa, o Barão de Mauá, grande impulsionador da indústria brasileira, começa a construção da ferrovia ligando Santos a Jundiaí, concluída em 1867 já sob o controle da inglesa “The São Paulo Railway Company”, visando escoar a produção de café do interior paulista até o Porto de Santos para exportação.

Estação da Luz / Foto: Wanderlei Celestino

Estação da Luz
Com o crescimento da demanda do transporte ferroviário, foi necessário desenvolver um novo projeto de estação que comportasse o movimento de pessoas e cargas. Foram inauguradas em 1901 a atual Estação da Luz e duas pequenas pontes sobre a estrada de ferro. Projetada pelo inglês Charles Henry Driver, sua obra utilizou exclusivamente materiais trazidos da Inglaterra.

Um dos maiores símbolos da cidade – especialmente pela sua torre de 60 metros de altura – a Estação da Luz é uma das mais importantes do sistema de transporte metropolitano. Também abriga, desde 2006, um dos mais visitados museus da cidade: o inovador Museu da Língua Portuguesa.

Praça da Luz, 1 – Luz
Tel: 0800-55-0121
Visite o Site
Horário: todos os dias, das 4h às 24h.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Painel “Epopéia Paulista”
Realizado pela artista plástica Maria Bonomi, este monumental painel de 73 metros de extensão por 3 metros de altura contempla a memória da Estação da Luz e os tipos humanos da cidade de São Paulo. A obra é dividida em 3 partes:

Amarela – faz referência à presença nordestina na cidade, com ilustrações que remetem à literatura de cordel e cor que representa a terra seca do Nordeste.

Branca – as linhas retas representam os trilhos do trem e do Metrô, na cor branca que simboliza o futuro a ser construído na cidade pelos que chegam.

Vermelha – ilustra objetos esquecidos pelos usuários no dia-a-dia da estação, dos mais comuns aos mais curiosos. A cor escolhida representa a “terra roxa”, a terra vermelha encontrada em São Paulo, que serviu a grandes plantações de café.

Estação da Luz (corredor de interligação entre o Metrô e a CPTM)
Tel: 0800-55-0121
Horário: todos os dias, das 4h às 24h.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Parque da Luz
Originalmente concebido para ser um Jardim Botânico, foi criado por uma Ordem Régia da Coroa Portuguesa em 1798. Aberto ao público em 1825, é a mais antiga área verde da cidade. Tem área de 113.400 m² e conta com muitos atrativos, como a gruta com cascata, o aquário subterrâneo, e quase 50 esculturas de artistas como Lasar Segall, Victor Brecheret, Leon Ferrari e Amílcar de Castro dispostas ao longo de toda extensão. No fundo do parque, próximo aos sanitários, é possível ver um pé de café.

Praça da Luz, s/nº – Luz
Tel: (11) 3227-3545
Horário: de terça a domingo, das 9h às 18h.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Pinacoteca do Estado
O edifício começou a ser construído em 1897 para sediar o Liceu de Artes e Ofícios – centro de educação profissionalizante para formação de artesãos e mão-de-obra especializada para a metrópole que se desenvolvia com o dinheiro vindo da exportação dessa especiaria. O projeto da construção é do arquiteto Ramos de Azevedo, que também era o diretor do Liceu. Inaugurado em 1905, passou a abrigar a Pinacoteca do Estado, o primeiro museu de arte de São Paulo, que veio a ocupar a totalidade do prédio.

Restaurado em 1998 seguindo o projeto do arquiteto Paulo Mendes da Rocha, a Pinacoteca tem mais de 8 mil peças em seu acervo e é um dos principais atrativos turísticos paulistanos.

Praça da Luz, 2 – Luz
Tel.: (11) 3324-1000
Visite o Site
Horário: Terça a domingo, das 10h às 17h30.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Vila dos Ingleses
Esta vila foi concebida para servir de moradia aos funcionários ingleses da ferrovia São Paulo Railway (Santos-Jundiaí). Tombada pelo patrimônio histórico, foi construída a partir de 1917 seguindo projeto do chileno Eduardo de Aguar D’Andrada, inspirado nas vilas operárias de Londres. Atualmente funciona como um centro de atividades comerciais.

Rua Mauá, 836 – Luz
Tel: (11) 3228-6944

São Paulo é uma cidade como nenhuma outra no Brasil. Maior metrópole da América do Sul, centro cultural e da vanguarda brasileira, precisa ser conhecida e descoberta para ser amada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *