Dicas & Destinos

Dicas de viagem para Roma, a Cidade Eterna

O poeta romano Tíbulo (55 a.C. – 19 a.C.) foi quem lhe deu o título de Cidade Eterna. Para ele, não importava quantos impérios surgissem ou caíssem, Roma continuaria para sempre. Sua previsão mostrou-se correta. Desde o século VII a.C., quando apareceu como um acampamento erguido pelos etruscos, Roma já passou por guerras, sobreviveu a caprichos da natureza, foi o centro do mundo e sede papal até virar a capital da Itália, em 1871. Nem por isso vive às custas das glórias passadas. Como uma das cidades mais vibrantes da Europa, atrai hordas de visitantes com suas noites animadas, gastronomia saborosa e um povo para lá de hospitaleiro.

Talvez não seja exagero afirmar que há mais para conhecer em Roma do que em qualquer outra cidade do mundo. Entre as milhares de atrações históricas, não deixe de ver a área de gladiadores do Coliseu e o Fórum Imperial com suas estátuas decapitadas, colunas derrubadas e templos repletos de hera, verdadeiras viagens no tempo. Se for preciso escolher apenas um museu para visitar, uma boa ideia é a discreta Galleria Borghese. Seu acervo inclui esculturas magníficas, como o “Davi” de Bernini, além de afrescos e pinturas dos mestres renascentistas Caravaggio, Rafael e Ticiano. Também não dá para ir a Roma e não visitar o Vaticano. Nem é preciso entrar na Basílica de São Pedro, erguida sobre o túmulo do apóstolo de Jesus. Bastar passar alguns minutos na Praça de São Pedro, admirando as colunas dóricas e as 340 estátuas que adornam o local, para ter a impressão de que o dia já foi bem aproveitado.

Gastronomia

Quando em Roma, faça como os romanos. Isso significa levar o ato de comer muito a sério e passar horas deleitando-se nas incontáveis pizzarias, trattorias e gelaterias da cidade. A cozinha italiana tradicional vale-se de poucos ingredientes e receitas simples, mas nem por isso deixa de ser saborosa – ao contrário. Combinações perfeitas, alcançadas depois de séculos de tentativas e erros, rendem pratos inesquecíveis como o penne all’arabiatta, o spaghetti alla carbonara e a saltimbocca alla romana.

A noite de Roma

O bairro boêmio de Trastevere, com suas ruas estreitas de paralelepípedos e atmosfera de cidade do interior, é o local ideal para quem procura bons vinhos (há praticamente uma enoteca em cada esquina) e restaurantes abertos até altas horas. Se a ideia é ir a casas noturnas, o endereço é a Via Galvani, em Testaccio. As baladas, ali, costumam atrair um público mais jovem em busca de boa música, DJs famosos e muita animação. Mas preste atenção: no verão, muitas casas noturnas mudam-se para a beira do rio Tibre.

Imperdíveis em Roma

O que fazer em Roma? Para fugir das multidões de turistas, os romanos costumam visitar durante os finais de semana os jardins da Villa Doria Pamphili, o maior parque da cidade. No verão, ele vira um teatro a céu aberto, com concertos e shows, inclusive à noite. Entre as diversas igrejas, monastérios e conventos, a basílica de San Giovanni in Laterano tem um clima especial. Sede papal até o século XV, abriga o Altar do Sagrado Sacramento, com uma tábua da mesa que teria sido usada por Jesus Cristo na Última Ceia.

Roma é uma das cidades com mais fontes por quilômetro quadrado no mundo. A mais famosa – e mais visitada – é sem dúvida a Fontana di Trevi, obra barroca do escultor italiano Gian Lorenzo Bernini. Diz a lenda que quem jogar uma moeda em suas águas voltará a Roma. Se jogar duas, volta e se apaixona; três moedas e, além de voltar e se apaixonar, também se casa.

Transporte

Andar de carro pelas ruas de Roma pode ser complicado – os motoristas são imprudentes e não parecem respeitar os sinais de trânsito. Estacionar também é um suplício. O transporte público, portanto, é a melhor opção. O metrô é fácil de usar: há apenas duas linhas (A e B) que percorrem toda a cidade, inclusive com paradas nas principais atrações turísticas. Os ônibus laranja e os bondes cobrem todos os bairros, mas não passam pelas estreitas ruas do centro histórico. Os bilhetes para metrô, ônibus e bondes devem ser compradas antes do embarque. Os táxis (amarelos) são caros e não costumam pegar passageiros fora dos pontos.

Compras

Gucci, Valentino, Armani, Salvatore Ferragamo, Dolce & Gabbana… essas marcas made in Italy – e muitas outras – podem ser encontradas no endereço único da Via dei Condotti. Partindo da escadaria da Piazza di Spagna, essa avenida longa e movimentada abriga o maior número de lojas de alta-costura da cidade, além de restaurantes, cafés, galerias de arte e joalherias. Suas calçadas servem de passarela para a clientela endinheirada que lota o local. Quem se interessa por antiguidades pode vasculhar as lojas das Vias Margutta, Ripetta ou Del Babuino. Ou passear pelo mercado de pulgas da Porta Portese, que acontece nas manhãs de domingo.

Quando ir

Julho é o mês mais quente, com temperaturas acima de 26°C; janeiro, o mais frio, com médias em torno de 8°C. Chove bastante em dezembro

Dica para qualquer viagem internacional

Verifique a validade do seu passaporte e dos vistos, caso você vá passar por algum país que exija a autorização. A validade do documento varia de acordo com o lugar, e a contagem é feita a partir da data de retorno. E mantenha uma cópia das duas primeiras páginas do passaporte, já que em caso de extravio isso pode facilitar os trâmites burocráticos.

Com informações da Central de Intercâmbio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *