Dicas & Destinos

Conheça as belezas e encantos de Parque Nacional de Itatiaia

O Parque Nacional de Itatiaia, a primeira área do país a ser transformada em Unidade de Conservação, em 1937, é um verdadeiro santuário ecológico e uma boa opção de passeio, tanto para os mais aventureiros quanto para aqueles que buscam refúgio na natureza. Com cachoeiras, trilhas e fauna e flora riquíssimas, o parque possui atrativos para as mais diferentes faixas etárias e é uma boa opção de passeio, principalmente nos meses frios do ano.

Quem passa pela Via Dutra (BR-116) entre os estados de Rio de Janeiro e São Paulo avista, de longe, o pico das Agulhas Negras, penhasco cheio de pontas que é o principal atrativo do Parque Nacional de Itatiaia. O parque está localizado no maciço do Itatiaia (pedra pontiaguda), na serra da Mantiqueira, no sul dos estados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais. A área de 30 mil hectares abrange os municípios de Alagoa, Bocaina de Minas e Itamonte, em Minas Gerais, além de Itatiaia e Resende, no Rio de Janeiro.

O local proporciona aos visitantes recreação e turismo ecológico ao mesmo tempo que se preocupa também com a proteção da diversidade ambiental e nascentes. Boa parte dos atrativos é acessada pelo lado fluminense como: Lago Azul, Cachoeira Poranga, Piscina Natural do Maromba, Cachoeira Itaporanni, Cachoeira Véu de Noiva e Três Picos. Nesta área, as caminhadas em meio a trilhas são mais leves e rápidas. Em meia hora, chega-se às principais cachoeiras e alguns mirantes.

A parte mais alta, incluindo o pico das Agulhas Negras, é acessada pela BR-485, que começa na Garganta do Registro, na Divisa entre Resende (RJ) e Itamonte (MG). O local é um antigo pedágio de cobrança de imposto do ouro e fica em um desvio da Estrada Real que ligava Diamantina (MG) a Paraty (RJ). No alto da Pedra do Sino, em um abrigo do sol e chuva, montanhistas podem encontrar dentro de uma pequena lata, uma espécie de tesouro escondido, o Livro de Registro onde é possível deixar mensagens e assinalar a passagem pelo local escalado.

A estrada pretendia ligar os dois lados do parque, quando a área que pertenceu ao Visconde de Mauá foi transformada no primeiro parque nacional, em 1937, e refúgio do então presidente Getúlio Vargas. A rodovia mais alta do pais nunca foi concluída. Pouco resta do asfalto, uma espécie de espinha dorsal de onde partem as trilhas em direção as nascentes, cachoeiras, piscinas naturais e formações rochosas que desafiam a imaginação dos visitantes: Agulhas Negras, Pico do Couto, Pedra do Sino, Ovos da Galinha, Prateleiras, Asa do Hermes e Altar, entre outras que beiram os 2.800 metros de altura. O Pico do Itatiaiaçu, com 2.791 m de altitude, localizado nas Agulhas Negras, é o mais alto.

É nesse cenário rico em história e belezas naturais que o parque de Itatiaia guarda muitos tesouros para os amantes do turismo de aventura. São mais de 100 mil visitantes por ano e muitos buscam os pontos de acesso mais difíceis. A região conta com opções de hospedagem que vão de simples albergues aos hotéis de charme.

Quando ir

O Parque pode ser visitado todos os dias do ano, mas o melhor período para conhecer a parte alta é durante o inverno. Enquanto que a parte baixa pode ser desfrutada durante todo ano, mesmo no verão, porém é época de grande incidência de chuva.

Horários

O horário de funcionamento é diferente para a parte baixa e parte alta do parque:

Na parte baixa o horário para ingresso inicia-se às 08h00, com permanência até às 17h00. Nas cachoeiras do Complexo do Maromba a permanência é até às 16h00. Em caso de chuva, as cachoeiras poderão ser interditadas a qualquer momento para a segurança do visitante, pois há riscos de cabeça d’água.

E na parte alta, o horário para ingresso é das 07h00 às 14h00. A permanência estende-se até às 17h00, impreterivelmente.

O que fazer

  • Banhos de cachoeira: na Parte Baixa, os locais para banho são o Lago Azul e as cachoeiras do Complexo do Maromba: Piscina do Maromba, Véu de Noiva e Itaporani. Já na Parte Alta, boas opções para banho são a Cachoeira das Flores e a Cachoeira do Aiuruoca;
  • Birdwatching (Observação de Aves): o Itatiaia é considerado um dos melhores locais do mundo para a observação de aves, o que pode ser feito tanto na Parte Baixa quanto na Parte Alta
  • Butterflywatching (Observação de Borboletas): as borboletas e mariposas podem ser observadas em todo o parque, sendo o horário da manhã o mais adequado;
  • Caminhadas: tanto na parte Baixa quanto na Parte Alta, ao longo das estradas e nas trilhas abertas à visitação;
  • Ciclismo em áreas permitidas: nas estradas, tanto na Parte Alta quanto na Parte Baixa
  • Escalada: especialmente nas formações rochosas na Parte Alta (Camelo, Couto, Prateleiras, Agulhas, Altar, etc) e na Parte Baixa, no Último Adeus;
  • Montanhismo: especialmente na Parte Alta, com diversas trilhas, travessias e escaladas; na Parte Baixa, a Trilha dos Três Picos oferece uma caminhada no meio da mata com um dia de duração
  • Observação de fauna: em todo o parque, ao longo das trilhas e estradas abertas ao público;
  • Pernoite autorizada nos abrigos e campings: Abrigo Rebouças, Abrigo Água Branca, camping próximo ao Rebouças e camping selvagem no Abrigo Massena e no Rancho Caído;
  • Piquenique nas áreas permitidas: quiosques do Lago Azul, gramados do Centro de Visitantes na Parte Baixa. Na Parte Alta no Abrigo Rebouças e em diversos atrativos, como Altar, Base das Agulhas e Base das Prateleiras;
  • Travessias: Ruy Braga (Rebouças-Parte Baixa), Rebouças-Serra Negra-Morro Cavado-Mauá; Rebouças-Rancho Caído-Mauá (via Escorrega ou Vale das Cruzes)

Principais distâncias

Abaixo há uma tabela com as principais distâncias entre as duas entradas oficiais do Parque, Posto 1 e Posto Marcão. A primeira parte da lista é composta das principais metrópoles, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Em seguida os municípios e distritos nas quais se hospedam visitantes do Parque, ou por serem localidades referenciais para o acesso ao Parque.

Você precisa saber

Antes de programar sua ida ao parque nacional verifique se o roteiro (trilha ou travessia) que pretende fazer é permitido.

Atenção: Em épocas de chuva oriente-se com a administração do parque sobre a possibilidade de ocorrência de trombas d´água, pois elas inviabilizam o acesso às cachoeiras. A tromba d´água é um fenômeno decorrente do acúmulo de água na cabeceira do rio, provocando uma enchente repentina arrastando o que estiver em seu curso.

Ao acessar qualquer uma das entradas do parque, lembre-se:

  • É proibido a entrada de animais domésticos;
  • Utilize apenas as trilhas autorizadas (certifique-se no portão de entrada);
  • Não temos lanchonetes e nem restaurantes;
  • Não é permitido o consumo de bebidas alcólicas;
  • Não existem áreas de acampamento autorizadas na parte baixa; e
  • Não é permitido fazer fogueira em áreas naturais.

Para o visitante que vai à Parte Alta, o Parque possui, como opção, um Programa de Condutores de Visitantes, cadastrados, que podem auxiliar na experiência de visita. Assim mesmo, é necessário que o visitante assine um Termo de Responsabilidade que lhe é apresentado no Portão de entrada. Porém, não é obrigatório a contratação dos condutores, mas sim uma opção.

Acompanhe também nossas dicas no instagram @EmbarquenaViagem e use a hashtag #EmbarquenaViagem para marcar suas fotos de viagem, dicas de lazer, hospedagem, entretenimento e cultura.

Embarque na Viagem, o melhor do Turismo, Hospedagem, Lazer, Entretenimento e cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *