Variedades & Tecnologia

Cultura e gastronomia – uma mistura que sempre dá o que falar

Atenção ao viajar para outros países! Conhecer a cultura do país de destino evita que você cometa gafes e evita, principalmente, possíveis problemas. Cada país tem suas peculiaridades e informar-se e respeitar estes costumes locais é a melhor maneira de evitar situações constrangedoras durante a viagem. Vou citar alguns exemplos relacionados a gastronomia para explicar um pouco do que estou falando.

comida

Na Europa é um hábito muito comum dividir a mesa com estranhos e isso vem se espalhando para outros continentes também. Não se espante.

Na Arábia Saudita, em algumas regiões (mais para o interior) da Itália e Portugal, arrotar após as refeições é um sinal de boa educação e de que você ficou satisfeito com a refeição servida;

Na Bélgica, é comum comer com o garfo na mão esquerda, mesmo quem não é canhoto, mas em países árabes isso é impensável, a mão esquerda é considerada impura já que é destinada a higiene pessoal. Então, você já sabe, nada de entregar documentos, trocar cartões de visita ou fazer pagamentos com a mão esquerda;

comida

Não estranhe os hábitos do Paquistão. Por lá, homens e mulheres comem separadamente;

Jamais recuse um cálice de vodka na Rússia, ou qualquer outro tipo de bebida na Irlanda. Isso é considerado um gesto rude e com certeza você será alvo de olhares fulminantes. Aceite, sorria, faça um brinde e finja que bebeu. Simples;

bebida

Na China, olhe que estranho, assoar nariz na rua ou cuspir são sinais de higiene, isso significa que você está tirando algo sujo de dentro do corpo. Porém, se deixar de beber tudo que está dentro do cálice em um brinde, estará cometendo uma grave ofensa;

sneezing-photo

Vai viajar para o Egito? Então deixe sempre um pouco de comida no prato durante as refeições, mesmo que você esteja com muita fome e a comida extremamente saborosa. Isso simboliza abundância, fartura e um grande elogio ao anfitrião;

Não se assuste ao presenciar indianos e marroquinos comendo com as mãos. Este ainda é um hábito muito comum entre eles assim como na África e Oriente Médio. Sempre que a refeição for oferecida use apenas a mão direita para se alimentar, pois a esquerda serve para outras coisas. Até mesmo os canhotos são obrigados a obedecer esta regra. Na travessa oferecida, só pegue a porção bem próxima a você. Literalmente, coma pelas beiradas. Colocar a mão no meio da comida é considerado muita grosseria. Dica simples: observe e repita o que as pessoas fazem enquanto comem.

chicken-tikka-masala indiano

O prato típico da Finlândia é rena ensopada ou frita. Portanto se você acha uma fofura aqueles bichinhos, jamais peça um prato típico;

A culinária na Mongólia é exótica e muito rica em nutrientes, mas não se assuste ao se deparar com um prato de carne de camelo cozida;

Larvas, abelhas e grilos fritos são aperitivos na Tailândia vendidos em todos os cantos, mas em Taiwan e Hong Kong, um dos pratos principais é a cobra frita;

cambodia-442_1280

Se você palitar os dentes após as refeições na Itália significa que gostou da comida. Mas se fizer isso na França e em tantos outros países é um ato de extrema grosseria;

Na Índia a vaca é considerada um animal sagrado. Não é raro encontrar uma delas deitadas no meio da rua e em função disso, todo o trânsito que já é caótico, ser desviado. Portanto, nada de pedir aquele belo bife fritinho e crocante de carne bovina para não ter problemas sérios, ok?

carne

Em Portugal, é quase que um crime pedir por sal e pimenta se eles não estiverem na mesa.

Já os japoneses aceitam até que você coma macarrão o sugando e fazendo ruídos, mas experimente repousar no prato o “hashi” na posição vertical. Isso é altamente contra-indicado, pois é assim que o arroz é oferecido aos mortos, como em quase toda a Ásia.

food-

No México, uma boa pedida é gritar a expressão “provecho”, que significa “bom apetite”, “aproveite”, para qualquer pessoa que chame sua atenção.

mexicana

Vou contar uma história engraçada para vocês. Estive recentemente em Seychelles, um arquipélago belíssimo que fica no extremo Índico, entre Madagascar e Maldivas e passei por um certo perrengue. No hotel que fiquei hospedada era servido no almoço e jantar basicamente os mesmos pratos todos os dias e as opções eram limitadas. Como tenho uma certa restrição a pimentas, só me sobrava como opção para comer frango e batatas com arroz. Passei praticamente cinco dias comendo só isso no almoço e jantar. Como estava em evento profissional, não dava para sair do hotel para comer em outros lugares e a localização também não ajudava muito, já que meu hotel era afastado de tudo. Paciência, tive que comer o que dava.

Quando finalmente tive uma oportunidade de sair do hotel e explorar a região, eu pedi ao motorista que me acompanhava que me levasse a um lugar para comer algo típico da ilha, algo que os locais apreciassem muito comer, mas expliquei sobre meu probleminha com pimentas e tudo bem, lá fomos nós.

frango com ervas

Chegando ao restaurante tinha uma série de pratos de… frango. Frangos de todas as formas possíveis de preparar. Tinha também alguns peixes mega apimentados e uma série sem fim de pratos da mais famosa iguaria deles: morcegos. Era morcego com molho disso, morcego defumado, morcego grelhado, morcego ensopado, morcego flambado, morcego frito com fritas, morcego, morcego, morcego… e aí? O que eu iria optar? Peixe com pimentas, frango ou morcego? Por fim, conversei com o motorista, expliquei a situação e ele me levou para outro restaurante. Acabei comendo nhoque de batata com molho a bolonhesa. Agora vejam só, a pessoa correu zilhões de quilômetros para comer exatamente aquilo que se faz na cozinha da família desde sempre. Isso me traumatizou, acho que foi o maior mico de viagem relacionado a gastronomia que posso dividir com vocês.

Na verdade nunca estamos livres de algumas pegadinhas, por mais que nos informemos. O grande lance é ter presença de espírito e seguir em frente sem perder o bom humor. Afinal sua viagem certamente será muito mais que isso. Aproveite e boa viagem!!

4 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *