Variedades & Tecnologia

Face Andina – A magia peruana

A mostra acontece no moderno Instituto Moreira Salles, em São Paulo e traz 88 fotografias e 23 postais do fotógrafo peruano Martín Chambi (1891-1973), apresentando os principais temas de sua documentação do Peru, como retratos de estúdio, paisagens e cenas do ambiente urbano e rural de Cusco, Arequipa e Puno.

Vista panorâmica da Machu Picchu, 1925

Vista panorâmica da Machu Picchu, 1925

Nascido no povoado de Coasa, próximo ao lago Titicaca, começou a fotografar ainda jovem, aos 14 anos, na cidade de Cambaya, para onde seus pais se mudaram impulsionados pelo ciclo do ouro na região. Publicou, de forma pioneira no Peru, os primeiros cartões-postais. Registrou a população nativa do país, principalmente, das etnias Quéchua e Aymará e a humildade da vida andina sem desrespeitá-la, tornando seu trabalho reconhecido mundialmente, tanto pelo caráter etnográfico quanto pelo aspecto artístico. Foi uns dos primeiros a fotografar Machu Picchu, a cidade sagrada dos incas, descoberta em 1911.

Martín Chambi em Huayna Picchu, Machu Picchu, 1939

Martín Chambi em Huayna Picchu, Machu Picchu, 1939

Para Jung, as estruturas arquetípicas são externalizadas (guardadas as diferentes condições a organizações sociais), com a mesma necessidade e intuito místico do seu povo. Fez frequentes viagens pelos Andes, onde capturou imagens impressionantes de ruínas incas, bem como a cor local das paisagens desoladas e seus habitantes, onde conseguiu mesclar a tradição europeia, próxima da pintura, com os retratos em estúdio. Em suas fotografias de viagem lançou um olhar antropológico e simultaneamente terno sobre o lado mais esquecido do país – aquele habitado pelos povos de origem pré-colombiana.

Organista na Capela de Tinta, Sicuani, 1935

Organista na Capela de Tinta, Sicuani, 1935

O uso da luz natural e seu sentido de composição engrandecem as imagens e os personagens retratados, mostrando uma nação mestiça e multicultural. Para Mario Vargas Llosa: “A magia de Chambi pulsa em suas fotografias”. O olhar do fotógrafo tem uma espécie de frescor pós-colonial, que impõe profundidade, magia e personalidade aos retratos de pessoas, paisagens e monumentos arqueológicos, imersos na vastidão solitária dos Andes. “Meu povo fala através das minhas fotografias”, escreveu para uma exposição em Santiago em 1936.

Venha viajar por essas lindas imagens.

Face Andina – Fotografias de Martín Chambi
Instituto Moreira Salles – São Paulo
Rua Piauí, 844, 1º andar – SP
Informações: (11) 3825-2560

(Texto originalmente publicado na revista Psique Ciência & Vida)


Anderson Zenidarci é psicólogo, supervisor, palestrante, pesquisador, professor universitário de graduação e pós graduação.

Um viajante incontrolável e amante de arte, esculpe criativas peças em madeira nas horas de lazer. Dedica-se em disseminar história e cultura em sua coluna Panorama Cultural publicada mensalmente na revista Psique Ciência & Vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *