Variedades & Tecnologia

RJ recebe exposição especial sobre arbitrariedades da ditadura chilena

Arte retrata denúncia e resistência frente às arbitrariedades da ditadura chilena

No período de 29 de maio a 5 de junho de 2012, o Arquivo Nacional recebe a exposição Arpilleras da Resistência Política Chilena.

Arpilleras é uma técnica têxtil elaborada em pano rústico, com linhas, objetos variados e retalhos de tecidos. A exposição traz cerca de 30 arpilleras, em média com 60cm x 60cm de medida, todas produzidas durante a ditadura chilena e que ilustram, por exemplo, a determinação das mulheres diante da repressão policial às suas reivindicações (“Hornos de Lonquén”, de 1979), o senso de comunidade e a força política e social que elas conseguiam manter nesse cenário (“Corte de Água”, de 1980) e o terrorismo praticado pelos soldados carabineiros chilenos e pela polícia local (“Represión a Vendedores Ambulantes”, de 1983). A exposição, além de trazer uma reflexão sobre os crimes e violações ocorridos no período da ditadura, traduz a importância da discussão deste tema no campo dos direitos humanos.

Alguns desses trabalhos, feitos por essas mulheres, foram organizados em uma exposição itinerante, chamada “Arpilleras da Resistência Política Chilena”, que será apresentada em vários países. Sempre com entrada gratuita, o projeto tem o financiamento do Ministério da Justiça por meio do edital Marcas da Memória. Com a curadoria da pesquisadora chilena Roberta Bacic, As arpilleras já foram apresentadas em mais de 30 exposições pelo mundo, em países como Japão, Estados Unidos e França. 

Objetivos da exposição
Contribuir para a difusão dos temas ligados aos Direitos Humanos, à Memória Política e à Justiça de Transição, visando aprofundar a cooperação e o intercâmbio de experiências entre países da América Latina, em especial, o intercâmbio entre os processos de resistência à ditadura do Chile e do Brasil, que passaram por regimes de exceção em sua história recente, buscando o fortalecimento das instituições e práticas democráticas da sociedade brasileira.

Utilizar a arte como forma de sensibilização e aproximação aos temas dos Direitos Humanos, da Memória Política e da Justiça de Transição, refletindo sobre a relação entre Arte e Resistência Política.

Abrir mais um espaço para a discussão de temas relacionados à “Justiça de Transição” e “Sítios de Memória”. 

Em cada um dos espaços de memória em que a exposição é montada, suas organizadoras esperam realizar debates férteis de idéias discutindo como Chile e Brasil enfrentaram os horrores da ditadura e lidaram com suas consequências.

Exposição Arpilleras da Resistência Política Chilena
29 de maio a 5 de junho de 2012

Local: Arquivo Nacional
Praça da República, 173, térreo – Centro – Rio de Janeiro
Informações: (21) 2179-1273 – pi@arquivonacional.gov.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *