Variedades & Tecnologia

6 dicas para proteger o Pet do barulho dos fogos no Réveillon

Festas de fim de ano chegando e com toda aquela alegria e euforia que, para a maioria de nós, humanos, adoramos viver, precisamos lembrar que um outro grupo não curte tanto assim, especialmente pelas consequências naturais que a grande maioria dessas festas costuma trazer: o barulhos dos fogos no réveillon. Muita gente não faz ideia disso, mas enquanto os humanos festejam, a grande maioria dos peludinhos estão passando por momentos de grande angústia e profundo medo.

barulho dos fogos no Réveillon

Infelizmente, soltar fogos de artifício ainda é uma forma de comemoração utilizada por muitos brasileiros. Se para muitos isso é sinônimo de alegria e diversão, para os animais de estimação representa agitação e ansiedade, já que o ouvido dos cães e gatos é mais sensível aos barulhos que, consequentemente, provocam medo e mudanças de comportamento. “Algumas técnicas como o adestramento ou o uso de medicamentos e coadjuvantes terapêuticos, como os florais, podem ajudar a aliviar esse estresse, mas é necessário uma consulta com um profissional especializado que ajudará a identificar o melhor tratamento para cada animal”, explica o veterinário e fundador da Animal Place, Jorge Morais que lista abaixo algumas dicas para amenizar esse problema.

  1. Deixe que o animal de estimação fique no cômodo da casa que tenha menor ruído, e em segurança;
  2. Não deixe o cão ou gato preso em correntes ou caixas de transporte. Na hora dos fogos de artifício eles podem entrar em pânico e se machucar;
  3. Mantenha portas e janelas trancadas, evitando que o animal fuja e até mesmo se perca. Se morar em apartamento, verifique se as telas de proteção estão firmes;
  4. Tape os ouvidos do animal com um chumaço de algodão parafinado (hidrófobo). Não se esqueça de retirá-los assim que o barulho cessar, já que podem causar infecções caso fiquem por muito tempo;
  5. Existe uma técnica chamada de TTouch, que consiste em atar o cão com um pano para que a circulação sanguínea do corpo do animal seja estimulada, diminuindo assim, as tensões e a irritabilidade. Informe-se com seu veterinário;
  6. Nunca deixe o pet sozinho nesses momentos. A companhia do dono ajuda a passar mais segurança e amenizar esses momentos ruins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *