Dicas & Destinos

A assustadora história da Mansão Winchester

Histórias de assombração sempre estiveram entre as minhas preferidas. Desde muito pequena, lembro-me bem da sensação inquietante que tomava conta de mim a cada história que ouvia ou lia. Fosse pelos causos do interior de Minas e Bahia, fosse pelas história mais glamourosas de assombrações nas famílias de magnatas paulistanos e cariocas. Se bem que nada se compara às histórias de Recife, aquilo sim, é celeiro de assombrações de respeito. O fato, é que sempre tive essa quedinha por histórias bizarras, pelo que amedronta as pessoas, pelo que causa certo “melhor não” na hora de visitar uma atração turística bizarra em alguma viagem. E o que falar da curiosa e hipnotizante Mansão Winchester?

Indo direto ao assunto que me motivou a escrever hoje foi a estreia do filme: A Maldição da Casa Winchester (2018) para o próximo 1º de março. A Mansão Winchester sempre foi uma das minhas histórias americanas preferidas, já falei brevemente sobre ela aqui. Obviamente estou mega curiosa para ver o filme que possui a premissa de ser uma história baseada em fatos reais, o terror “biográfico”. Aproveite e dê uma olhadinha no trailer do filme aqui:

Tour de cemitérios? Tô super dentro! Aqui no Rio de Janeiro, inclusive, tem alguns fantásticos realizados pelo meu querido Milton Teixeira, Historiador de peso e respeito nacional, que por acaso, também foi meu professor e um dos responsáveis por nutrir essa minha paixão por história. Mas voltando às assombrações, em muitos países pelo mundo existem atrações bizarras para quem tem coragem e curiosidade suficiente pra encarar a descoberta. França, Inglaterra, Irlanda, Escócia e Estados Unidos são os principais destinos para quem se amarra em visitar lugares assombrados, vambora??!!

Em 2012 eu reuni algumas dessas atrações que você pode conferir aqui

Conheça também algumas atrações mais famosas como:

As curiosas Catacumbas de Paris

O descanso eterno das celebridades em Paris

A rota sinistra de Jack o Estripador

Castelo de Edimburgo – um marco histórico escocês

Levando em consideração que se você está lendo até agora, é também um curioso por histórias de assombrações, então, vou colocar abaixo um pouco da história da Mansão Winchester e da Sra. Sarah Winchester, herdeira da companhia de rifles de William Wirt Winchester. Assim, se você também for conferir o filme no cinema, já vai munido (sem trocadilhos, por favor) com um pouco da história para fazer sua crítica.

Winchester Mystery House

A “Winchester Mystery House” é uma mansão em San Jose, Califórnia, que já foi a residência pessoal de Sarah Winchester, a viúva do magnata das armas, William Wirt Winchester. Localizado no 525 South Winchester Blvd. em San Jose, a mansão em estilo vitoriano é conhecida por seu tamanho, suas curiosidades arquitetônicas e sua falta de qualquer plano de construção. É um marco histórico da Califórnia e a casa está protegida pelo Registro Nacional de Lugares Históricos. Ele é de propriedade privada e serve como uma atração turística.

A Mansão

Desde que começou a construção em 1884, a propriedade e a mansão foi acusada, incluindo pelos próprios Winchester de ser assombrada pelos fantasmas dos mortos com rifles Winchester. Sob a orientação de Winchester, a construção começou, sem interrupção, até sua morte em 5 de Setembro de 1922, altura em que o trabalho cessou imediatamente. Note que foram quase 40 anos de construções ininterruptas.

O biógrafo de Sarah Winchester, no entanto, afirma que a esposa de William Winchester demitia rotineiramente os trabalhadores. Após a morte de seu marido em 1881, Sarah Winchester herdou mais de 20,5 milhões de dólares. Ela também recebeu cerca de cinquenta por cento da Winchester Repeating Arms Company, dando-lhe uma receita de cerca de US $ 1.000 por dia, o equivalente a cerca de 23.000 por dia em 2013. Essa herança deu-lhe uma enorme quantidade de dinheiro que ela usou para financiar a construção da residência.

Motivo da construção

Tablóides da época alegaram que algum ponto depois da morte de seu marido, a viúva chamou um médium para canalizar o espírito de seu falecido marido. O espírito disse que ela deveria deixar sua casa em New Haven e viajar para o Oeste, onde ela deveria construir uma casa para ela e os espíritos de pessoas que tinham sido vítimas de rifles Winchester.

Sarah Winchester deixou New Haven e se dirigiu para a Califórnia. Embora seja possível que ela estivesse simplesmente buscando uma mudança de ares e um passatempo durante sua longa depressão, outras fontes afirmam que Sarah chegou a acreditar que sua família e fortuna eram assombradas por fantasmas, e que apenas mudando-se para o oeste ela poderia apaziguar os espíritos.

Chegada na Califórnia

Em 1884, ela comprou uma casa inacabada no Vale de Santa Clara e começou a construir sua mansão. Carpinteiros foram contratados e trabalharam na casa dia e noite até que se tornou uma mansão de sete andares. Ela não usou um arquiteto e ia acrescentado cômodos ao edifício de uma forma aleatória. Por isso, a casa contém numerosas excentricidades, como portas e escadas que vão a lugar nenhum e janelas com vistas para outros quartos.

Antes do terremoto de 1906, a casa tinha sete andares de altura, mas hoje tem apenas quatro andares. A casa é predominantemente feita de pau-brasil, madeira preferida da viúva. Foram usados cerca de 78.000 litros de tinta para pintar a casa. A casa em si é construída usando uma base flutuante que se acredita ser o motivo do seu desabamento parcial no terremoto de 1906 e 1989.

Este tipo de construção permite que a casa desloque-se livremente, uma vez que não é completamente ligada à sua base de tijolos. A mansão tem 160 cômodos, incluindo 40 quartos, 2 salões (um concluído e um inacabado), bem como 47 lareiras, mais de 10.000 painéis de vidro, 17 chaminés (com evidência de outras dois), dois subsolos e três elevadores.

Propriedade

A propriedade inicialmente tinha cerca de 162 acres, mas atualmente foi reduzida para 4,5 acres – o mínimo necessário para a casa e anexos nas proximidades. O local tem lustres de ouro e prata e uma vasta gama de cores e materiais de decoração. Devido à artrite debilitante da Sra. Winchester, escadas especiais foram instaladas.

Itens de conforto eram raros na época da construção da casa. A mansão tinha aquecimento a vapor de ar forçado, três elevadores, um dos quais era alimentado por uma válvula horizontal de pistão. A Sra. Winchester nunca economizou na decoração, o que contribuiu para a sua beleza arquitetônica. Muitos dos vitrais foram criados pela Tiffany Company.

Quando Winchester morreu, todas as suas posses foram para a sua sobrinha e sua secretária pessoal. Sua sobrinha, em seguida, levou tudo o que ela queria e vendeu o resto em um leilão privado. Ela supostamente levou seis caminhões que, durante oito horas por dia, por seis semanas, trabalharam sem parar para remover todos os móveis da casa.

A mansão foi vendida em um leilão para um investidor local por 135.000 dólares. Em fevereiro de 1923, cinco meses após a morte de Winchester, a casa foi aberta ao público, com Mayme Brown servindo como o primeiro guia de turismo. Harry Houdini visitou a mansão em 1924 e chamou o local de Mystery House (Casa Misteriosa).

Hoje, a casa é propriedade de Winchester Investments LLC, uma empresa privada que representa os descendentes de John e Mayme Brown. A casa mantém toques exclusivos que refletem as crenças da Sra.Winchester e sua preocupação latente em afastar espíritos malévolos.

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *