Cultura & Entretenimento

Palácio da Liberdade vira museu interativo em Minas Gerais

Espaço integra o Circuito Cultural Praça da Liberdade, que reúne outros sete museus na região Centro-Sul de Belo Horizonte, em Minas Gerais

Palácio da Liberdade01

 

O Palácio da Liberdade, sede histórica do governo de Minas Gerais, e um dos principais cartões postais de Belo Horizonte, transforma-se definitivamente em atração turística a partir desta segunda-feira (29/7). A nova museografia, concebida pelo designer e curador Marcello Dantas, propõe uma viagem interativa pela história política de Minas e do país, por meio de modernas tecnologias de vídeo, animação e outras mídias digitais.

A exposição permanente “Palácio da Liberdade – Memórias e Histórias” dispõe, pelos cômodos e pelo mobiliário, objetos como porta-retratos e espelhos, através dos quais são apresentados vídeos e animações com personagens marcantes da política mineira. O público é convidado a interagir com as instalações, que remetem a episódios históricos. Ao atender a um telefone, por exemplo, o visitante ouvirá um diálogo entre o então governador de Minas Gerais Juscelino Kubitschek e o arquiteto Oscar Niemeyer.

O prédio central do conjunto arquitetônico da Praça da Liberdade e do Circuito Cultural Praça da Liberdade foi inaugurado em 1897. Em seus salões e gabinetes foram tomadas decisões políticas e ocorreram encontros que definiram a história de Minas Gerais e também a do país.

Aos percorrer os 30 cômodos que integram o roteiro de visitas, o visitante vai conhecer detalhes sobre a vida e ações de 16 ex-governadores do estado – de Afonso Pena a Itamar Franco. A pesquisa da exposição “Palácio da Liberdade – Memórias e Histórias” foi feita pela historiadora Maria Eliza Linhares Borges, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e o levantamento iconográfico, por Vanessa Viegas e Solange Santos.

O projeto museográfico do Palácio da Liberdade é uma parceria do governo de Minas e da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e custou aproximadamente R$ 1 milhão.

Espaço de aprendizagem político-cultural

 Para garantir que a experiência da visita seja enriquecedora, o Palácio da Liberdade conta com dez educadores disponíveis para orientar moradores e turistas em um percurso com duração média de 1h.

O espaço será aberto ao público no domingo, 04 de agosto. A partir daí, as visitações poderão ser feitas aos sábados, domingos e feriados, das 10h às 16h (entrada, gratuita, até uma hora antes do horário de fechamento).

Sobre o Palácio da Liberdade

De traçado neoclássico, o projeto do Palácio da Liberdade mescla padrões arquitetônicos que vão desde o Luís XV (estilo de decoração de interiores e mobiliário que se desenvolve a partir da França durante o reinado de Luís XV, no século 18) ao mourisco (também chamado neo-islâmico, estilo artístico surgido na Europa no século 19, que buscava imitar e recriar a arte islâmica antiga). Seu objetivo era servir como sede administrativa do governo de Minas Gerais e residência oficial dos governadores.

Palácio da Liberdade interior

O primeiro a ocupar o Palácio foi Chrispin Jacques Bias Fortes (1847-1917), seguido por muitos outros, até que Juscelino Kubitschek, durante seu governo (1951 a 1955), encomendasse ao arquiteto Oscar Niemayer a construção de uma nova moradia para os governadores mineiros, o Palácio das Mangabeiras.

A partir da década de 1970 os governadores optaram por trabalhar no Palácio dos Despachos – prédio anexo. O Palácio da Liberdade voltou a ser prestigiado por Tancredo Neves, Eduardo Azeredo, Itamar Franco e Aécio Neves.

Grande parte dos materiais utilizados na edificação foi importada da Europa: artefatos de ferro da Bélgica, telhas de Marselha, pinho-de-riga da Letônia, por exemplo. No hall, empregou-se o mármore de Carrara, e os diversos salões do palácio foram recobertos em parquete ricamente trabalhado, formando desenhos geométricos.

Entre os principais atrativos do palácio contam o Salão Dourado, no qual se destacam os móveis ao estilo Luis XV; a Sala dos Banquetes, com sua mesa de 8 m que pode ser aumentada para 12 m, e a Sala dos Retratos, que expõe fotos de todos os governadores e presidentes de Minas, desde os tempos em que a capital ficava em Ouro Preto.

O Palácio da Liberdade foi incorporado ao Circuito Cultural Praça da Liberdade e aberto à visitação pública em 2010, após a transferência da sede do governo estadual para o Palácio Tiradentes, na Cidade Administrativa de Minas Gerais.

SERVIÇO

Inauguração da museografia do Palácio da Liberdade

Data: 29 de julho (segunda-feira)

Local: Palácio da Liberdade – Praça da Liberdade, s/n, Funcionários | BH-MG

Horário: 17h

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *