Dicas & Destinos

Trapalhadas de Viagem

Por: Daniella Barbosa

Segure a primeira gargalhada quem nunca cometeu “aquela” gafe durante uma viagem! O que seriam das viagens sem uma trapalhada de vem em quando? Vamos combinar que alguns deslizes podem até causar certo stress quando acontecem, mas acabam se tornando histórias memoráveis, relembradas com sorrisos por quem conta e não raro geram gargalhadas em quem ouve.

Não conseguiu liberar o carrinho de bagagens no aeroporto porque não tinha uma moeda local no bolso? Pagou aquela senhora multa (em euros) no ônibus porque se esqueceu de validar o ticket? Quase teve um ataque do coração quando o caixa eletrônico engoliu seu cartão durante a operação e você não sabia que ele iria cuspi-lo de volta assim que terminasse a transação? Perdeu o trem para outro país ao se perder dentro da própria estação? Pior, não entendeu o aviso do maquinista que aquela era a estação final do metrô, ficou preso no último vagão e teve que ser resgatado pela polícia? Precisou de uma aulinha pra descobrir como funcionava a descarga? Não se sinta constrangido, acontece nas melhores famílias e com viajantes de todas as idades!

 

MancadasPlanejar bem a viagem, pesquisar sobre a cultura do destino pode prevenir trapalhadas em série, mas se elas acontecerem uma dose extra de bom humor, flexibilidade e atenção às diferenças culturais com certeza ajudará a solucionar os impasses.

 

Há poucos dias, ouvi um amigo comentar sobre suas andanças pelo leste Europeu. Ele e mais três brasileiros decidiram alugar um carro, tudo ia muito bem até chegarem a Zagreb, na Croácia. O grupo estacionou bem próximo ao hotel em que ficariam hospedados, fizeram o check-in e ao retornar para pegar a bagagem se depararam com a clássica cena do guarda de trânsito com seu bloquinho na mão. Em um primeiro momento a reação mais comum: “Putz, não acredito! Ferrou!” No segundo seguinte, você respira fundo e pensa: “Nada que uma conversa não possa resolver.” A estratégia até poderia funcionar se o guarda falasse inglês, o que não era o caso.

No final das contas o grupo foi multado, certo? Na verdade não! Nunca duvide do poder da linguagem corporal, depois de uma conversa baseada em muita gesticulação, o guarda liberou os rapazes e o carro sem que tivessem que pagar a multa. Costumo brincar que o universo “quase” sempre conspira a favor dos viajantes! Ao se lembrarem da Croácia, com certeza a história do guardinha não será deixada de lado.

E você, já cometeu alguma gafe memorável durante uma viagem? Compartilhe conosco!

1 Comentário

  1. 11 de abril de 2013 ás 09:30 Responder
    Dayane Azeredo

    “Segure a primeira gargalhada quem nunca cometeu “aquela” gafe durante uma viagem”

    hahahaha segue meu mico, para engrossar o coro do post.

    Na primeira vez que andei de metro em Barcelona, a estação estava completamente vazia e reparei que quando os trens paravam, a porta não abria automaticamente.

    Achei que seria mico demais perguntar para algum funcionário como eu entrava no metrô, então decidi ficar esperando até que alguém entrasse, para eu entrar junto e já aprender como é que fazia.

    Só então percebi que tinha uma especie de “maçaneta” (nos mais modernos um botão) que abria a porta, tanto para entrar como para sair.

    Adorei a experiência e agora toda vez que viajo fico procurando alavancas e botões nos metros.
    Abçs,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *